Seja bem-vindo(a) !


Bem Vindos - Recados Para Orkut

sábado, 18 de abril de 2009

Datas comemorativas durante o ano

Janeiro
01 - Dia mundial da paz e da confraternização universal
09 - Dia do 'Fico'

01 - DIA MUNDIAL DA PAZ E DA CONFRATERNIZAÇÃO UNIVERSAL

No dia 4 de janeiro de 1965, o papa Paulo VI visitou a ONU (Organização das Nações Unidas), na sua campanha para reconstruir a paz mundial. Dirigindo-se aos membros dessa organização, ele pediu: “Deixai cair as armas de vossas mãos!” Passados três anos, esse mesmo pontífice instituiu o “Dia Mundial da Paz”, que passou a ser comemorado no dia 1 de janeiro em todas as igrejas católicas do mundo. A partir daí, nesse dia, todos os cristãos são incentivados a rezar para que a humanidade encontre um único caminho para a justiça e a paz; para que todos os povos abandonem suas armas e vivam como irmãos, se esforçando para assumir o compromisso com esse caminho da confraternização universal.No Brasil, o marechal Deodoro da Fonseca, após a proclamação da República, em 1890, decretou o dia 1 de janeiro como feriado nacional para celebrar o “Dia da Paz Nacional”.


09 - DIA DO ‘FICO’

Em meados de 1821, as cortes portuguesas, tentando restabelecer o poder sobre o Brasil para transformá-lo novamente numa colônia, expediram decretos ordenando o fechamento dos tribunais; a descentralização dos governos das províncias e o imediato retorno do príncipe regente, D. Pedro I, a Portugal. Os membros do Clube da Resistência, liderados por José da Rocha, na tentativa de manter a autoridade do Brasil, se uniram e organizaram uma movimentação para reunir assinaturas a favor da permanência do príncipe.
Dessa forma, juntando milhares de assinaturas, eles pressionariam D. Pedro a ficar no Brasil. No dia 9 de janeiro de 1822, veio a resposta que todos esperavam, fortalecida pelo célebre discurso: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronto. Digam ao povo que fico!”
A partir daí, D. Pedro entrou em conflito direto com os interesses portugueses. Para romper o vínculo que existia entre Portugal e seu Reino Unido, D. Pedro fez um ministério somente com brasileiros.
Dessa forma, começava a se desenhar na história o primeiro passo para o Brasil conseguir sua autonomia e liberdade, prenunciando a declaração de independência do Brasil, meses depois, no dia 7 de setembro de 1822. O Brasil ficou livre, após 322 anos de colonialismo português, evitando a catástrofe de uma guerra.



Fevereiro
14 - Valentine's Day (Dia dos Namorados)
27 - Dia do livro didático
Carnaval

14 - VALENTINE’S DAY

No dia 14 de fevereiro é comemorado o dia de São Valentim, o santo protetor dos namorados em toda a Europa, América do Norte, Sul (exceto no Brasil) e Central, Canadá e em grande parte da Ásia.
Nesse dia, segundo uma simpática tradição criada pelos devotos do santo, é comemorado o “dia dos valentins” que significa “dia dos namorados”, associado ao início da primavera, estação do despertar da vida e também do romance, quando os pássaros começam a preparar seus ninhos.
Esse dia tem como característica a troca de cartões com mensagens românticas e presentes entre os apaixonados.
No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de junho, véspera do dia de Santo Antônio, considerado o “Santo casamenteiro”.


27 - DIA DO LIVRO DIDÁTICO

O livro didático tem um papel fundamental na formação do estudante. Através dele, o estudante descobre o mundo do qual faz parte e também desenvolve as suas potencialidades.
Como instrumento de aprendizagem, o livro deve apresentar conteúdo e atividades que favoreçam a aquisição do conhecimento, por meio da reflexão e da resolução de exercícios.
Sugestão de leitura: Contos de Grimm
de Irmãos Grimm – Tradução de Monteiro Lobato, Companhia Editora Nacional.O livro apresenta onze contos fascinantes, clássicos da literatura infanto-juvenil, recolhidos pelos irmãos Jacob e Wilhelm Grimm.
São eles: A menina da capinha vermelha, Cinderela, O ganso dourado, O príncipe sapo, As enteadas e os anões, Branca de Neve e Rosa Vermelha, Branca de Neve, O alfaiate valentão, Hansel e Gretel, Os músicos de Bremen e Histórias de anões.
São histórias que possibilitam o encontro dos públicos infantil, juvenil e adulto com valores éticos e culturais, usando a imaginação, a magia e o desejo de felicidade.


CARNAVAL

O carnaval se caracteriza por festas, divertimentos públicos, bailes de máscaras e manifestações folclóricas.
Dez mil anos antes de Cristo, homens, mulheres e crianças se reuniam no verão com os rostos mascarados e os corpos pintados para espantar o demônio da má colheita.
As origens do carnaval têm sido buscadas nas mais antigas celebrações da humanidade, tais como as festas egípcias que homenageavam a deusa Ísis e o touro Ápis.
Os gregos festejavam com grandiosidade nas festas lupercais e saturnais a celebração da volta da primavera, que simbolizava o renascer da natureza.

CARNAVAL NO BRASIL

Famoso no mundo inteiro, o carnaval brasileiro é originário do entrudo português, um conjunto de brincadeiras de rua em que as pessoas atiravam água, farinha, ovos podres e fuligem umas nas outras.
O entrudo acontecia na época anterior à Quaresma, período do calendário católico destinado à penitência, simbolizando, portanto, um momento de libertação – significado que se incorporou ao carnaval.
Trazido para o Brasil no século XVII, o entrudo sofreu influência dos carnavais dos países europeus, a partir do século XIX; quando as máscaras, as fantasias e as personagens, como o Pierrô, a Colombina e o Rei Momo, entraram para a festa brasileira.
Nessa época, surgiram também os primeiros blocos, cordões e “corsos”, desfile de carros alegóricos. A partir daí, a festa ganhou força e chegou a todas as regiões brasileiras.



Março

08 - Dia internacional da mulher
14 - Dia da poesia
22 - Dia mundial da água
27 - Dia Nacional do circo
08 - DIA INTERNACIONAL DA MULHER

No dia 8 de março de 1857, um grupo de operárias de uma fábrica de tecidos de Nova Iorque iniciou uma greve seguida de protesto por melhores condições de trabalho e salários mais justos.
Numa ação da polícia, foi deflagrado um incêndio criminoso que acabou tirando a vida de 129 mulheres, entre tantas outras feridas.
O Dia Internacional da Mulher foi criado em homenagem a essas heroínas da luta pela emancipação feminina. Esse foi um dos fatos históricos mais significativos na luta das mulheres pela igualdade de direitos.
O importante é saber que, ao respeitar os direitos da mulher, todos estarão contribuindo para a construção de uma sociedade mais justa, saudável, feliz e pacifista.


14 - DIA DA POESIA

Em 14 de março comemora-se o Dia Nacional da Poesia, relembrando o nascimento do grande poeta brasileiro Castro Alves.
Um dos grandes expoentes do romantismo no Brasil, Castro Alves escreveu poesias importantes, como O navio negreiro. Não à toa, ficou conhecido como o poeta dos escravos. Morreu de tuberculose na cidade de Salvador (BA), em 6 de julho de 1871, com apenas 24 anos.
A poesia é uma arte literária e, como arte, recria a realidade. Geralmente, a expressão poesia se aplica à estrutura de texto em versos. Os versos são as linhas do poema. Um conjunto de versos forma uma estrofe.
Algumas características básicas da poesia são o ritmo, a divisão em estrofes e a rima. Um poema também possui métrica, que é a contagem das sílabas poéticas dos versos.
Nem todos esses quesitos estão sempre presentes. Os poetas modernistas, por exemplo, adotaram os versos livres, despreocupados com a rima e a métrica.
Declamando ou escrevendo, fazer poesia é expressar-se de forma a combinar palavras, mexer com o seu significado, utilizar a estrutura da mensagem. Essa é a função poética.
Sugestão de leitura: História da história e outras poesias
de Valéria Belém, Companhia Editora Nacional
Ilustrações de Adriana Mendonça
Sentir é coisa de gente. Palavras também são. Junta tudo, mistura e solta: vira verso, vira rima, como estas histórias de meninas e meninos que sonham tanto e experimentam a vida como um doce algodão.

Castro Alves - Antônio de Castro Alves
Poeta


Nasceu em Muritiba (BA), em 14 de março de 1847. Poeta do condoreirismo (terceira geração do romantismo), ainda jovem ganhou popularidade e respeito por ser um orador de peso.
Suas poesias, fervorosas e defensoras de uma ideologia, foram classificadas como engajadas. Por seus ideais libertários, foi o primeiro grande poeta social da nação. Sua arte foi sempre movida pelo amor e pela luta por liberdade e justiça.
Contrariamente aos românticos, não se fixou no “eu”, mas se revelou um homem ciente dos conflitos de seu tempo, ao retratar as questões políticas e sociais do país. Defendeu a República, a abolição dos escravos, a igualdade e rechaçou a opressão. Entretanto, cantou também o amor, os ideais, a morte e a mulher: uma mulher real, sensual, amante — personificada em Eugênia da Câmara, atriz portuguesa por quem nutria paixão.
Em 1863 aderiu publicamente à causa abolicionista, publicando o poema A canção do africano. Essa luta pela abolição se tornou uma constante e lhe rendeu o epíteto “O Poeta dos Escravos”. Expôs em O navio negreiro toda a sua revolta contra os donos de fazendas que importavam negros da África, vindos apertados em porões imundos dos navios, onde muitos morriam de fome e doença.
Pôs em pratos limpos o lado malvado da pátria, antes exaltada com orgulho – às vezes por ele mesmo. Um ano antes de morrer, publicou Espumas flutuantes, que o consagrou definitivamente ao lado de Gonçalves Dias. Destacam-se também entre suas obras Vozes d’África, Os escravos e A cachoeira de Paulo Afonso.
Castro Alves morreu em 6 de julho de 1871, em Salvador (BA), aos 24 anos, vítima de tuberculose pulmonar. Para celebrar seu nascimento, em 14 de março, o Dia Nacional da Poesia é comemorado nesta data.

22 - DIA MUNDIAL DA ÁGUA

O Dia Mundial da Água foi criado pela Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas, através da resolução A/RES/47/193 de 22 de fevereiro de 1993.
A observância internacional do Dia Mundial da Água é uma iniciativa que cresceu desde 1992, a partir da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, no Rio de Janeiro.
Os países foram convidados a dedicar o Dia Mundial da Água a atividades concretas que promovessem a conscientização pública, através de publicações e difusão de documentários, a organização de conferências, mesas redondas, seminários e exposições relacionadas à conservação e desenvolvimento dos recursos hídricos.
De acordo com a Organização das Nações Unidas, o uso da água triplicou de 1950 para cá. Para o futuro, estima-se que nos próximos 20 anos o ser humano irá usar 40% a mais de água do que usa agora.
O que pouco se sabe é que os problemas relacionados à água estão mais ligados à má administração de recursos do que propriamente da escassez natural. Isso quer dizer que o futuro pode ser um pouquinho melhor, se soubermos utilizar a água e criarmos soluções para situações críticas.
Sugestão de leitura: Água
de Charline Zeitoun, Companhia Editora Nacional
A água está por todo lado. Ela enche os oceanos, corre da torneira ou cai em gotas de chuva.
Mas, o que é a água? Como ela se transforma em gelo? Por que os barcos flutuam? Realize as experiências propostas e o precioso líquido não terá mais segredos para você!




27 - DIA NACIONAL DO CIRCO

É praticamente impossível determinar uma data específica de quando ou como as práticas circenses começaram. Mas pode-se apostar que elas tiveram início na China, onde foram encontradas pinturas de 5 mil anos, com figuras de acrobatas, contorcionistas e equilibristas.
Esses movimentos faziam parte dos exercícios de treinamento dos guerreiros acrescentando-se, aos poucos, graça e harmonia.
No Brasil, a história do circo está muito ligada à trajetória dos ciganos em nossa terra, uma vez que, na Europa do século XVIII, eles eram perseguidos.
Aqui, andando de cidade em cidade e mais à vontade em suas tendas, aproveitavam as festas religiosas para exibirem sua destreza com os cavalos e seu talento ilusionista.
O Dia Nacional do Circo é comemorado em 27 de março para homenagear o palhaço brasileiro Piolin, que nasceu nessa data no ano de 1897, na cidade de Ribeirão Preto (SP).
Considerado por todos que o assistiram como um grande palhaço, se destacava pela enorme criatividade cômica e pela habilidade como ginasta e equilibrista. Seus contemporâneos diziam que ele era o “pai” de todos os que tinham a cara pintada, o colarinho alto e que sabiam fazer o povo rir.
As gerações anteriores ainda devem se lembrar o que significava a chegada de um circo à sua cidade. Naquela época, onde não existia televisão, nem cinema, e o teatro era diversão para as elites, a chegada de um circo era uma festa que empolgava adultos e crianças.

Como as opções de lazer e entretenimento eram poucas, o circo promovia o grande evento no qual as pessoas se reuniam para se divertir com palhaços, mágicos, malabaristas e outras atrações.
Sugestão de leitura: O circo
Roseana Murray, Companhia Editora Nacional
Ilustrações de Agnes M. Carvalhaes Carabetti
Acompanhados de ilustrações muito coloridas e vibrantes, os poemas de Roseana Murray narram o percurso do circo desde sua chegada à cidade até sua saída.
Os operários e os que espiam do lado de fora também são lembrados pela autora.

Páscoa

A páscoa surgiu entre os pastores nômades na época pré-mosaica, anterior ao profeta Moisés, que festejavam a chegada da primavera.
O Pessach – a festa da Páscoa judaica – significa a passagem da escravidão para a liberdade, comemorada numa cerimônia para relembrar e louvar a libertação dos hebreus depois de um longo período de escravidão no Egito.
Considerada a Festa da Libertação, a Páscoa é a maior festa entre os cristãos que celebram a ressurreição de Jesus Cristo. Nela se comemora a passagem de Cristo “deste mundo para o Pai”, da “morte para a vida” e das “trevas para a luz”.

OS SÍMBOLOS DA PÁSCOA

A Páscoa é repleta de símbolos importantes e, mesmo em diferentes países e culturas, muitos deles estão sempre presentes nos rituais. Conheça alguns desses símbolos e o que representam:
OvosDar um ovo de presente significa desejar que a vida se renove para a pessoa que o recebe; simboliza fertilidade e nova vida.


Círio Pascal


O Círio é uma grande vela onde estão inscritas as letras gregas alfa e ômega, simbolizando que Cristo é o princípio e o fim, e a luz.


Cruz

A cruz nos recorda o sofrimento e a ressurreição de Jesus Cristo. Não é somente um símbolo da Páscoa, mas também um símbolo da fé católica.

Colomba ou pomba da paz


Colomba pascal é um bolo preparado com ricos ingredientes em formato de pomba da paz, que simboliza a vinda do Espírito Santo.


Coelho

O coelho é um símbolo de fertilidade. Como se reproduz rapidamente e gera muitos filhotes, representa a fecundidade e a reprodução constante da vida e também a Igreja, que pode ter novos discípulos sempre.


Cordeiro

O cordeiro simboliza, para os cristãos, o próprio Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, que foi crucificado para pagar os pecados dos homens.


Pão e Vinho


Representando o seu corpo e seu sangue, Jesus escolheu o pão e o vinho para dar vazão ao seu amor e ofereceu aos seus discípulos para celebrar a vida eterna.

O costume de presentear as pessoas na época da Páscoa com ovos ornamentais e coloridos, verdadeiras obras de arte, começou na antigüidade para representar a alegria da ressurreição.
Conta a lenda que uma mulher muito pobre teria colorido alguns ovos e os escondeu para que seus filhos os achassem na manhã de Páscoa. Quando as crianças descobriram o ninho, um grande coelho passou correndo. Espalhou-se a história de que o coelho teria trazido os ovos. Posteriormente, os ovos pintados foram substituídos por ovos de chocolate, tradicionalmente um presente recheado de significados. Além das toneladas de chocolate, devemos adoçar nossas vidas com boas idéias, que possam germinar novas descobertas. É também nesse período que devemos refletir sobre a culpa, o perdão, a vida, o amor, a morte, a penitência, a solidariedade e a liberdade. Acreditar nessa simples possibilidade já faz da Páscoa um momento muito feliz.
FELIZ PÁSCOA!
Sugestão de leitura: Errar é humano
de Toquinho e Elifas Andreato, Companhia Editora Nacional.
Errar é humano traz uma mensagem: a perfeição não existe.
Diz que é natural não conseguir fazer a lição de casa sozinho ou ter de se apoiar em alguém para andar de bicicleta. Afinal, o certo é aprender errando.



Abril

07 - Dia mundial da saúde

18 - Dia nacional do livro infantil

19 - Dia do índio

21 - Dia de Tiradentes / Aniversário de Brasília

22 - Descobrimento do BrasilPáscoa


07 - DIA MUNDIAL DA SAÚDE


Mais do que a simples ausência de doenças, a saúde deve ser descrita como um completo estado de bem-estar físico, mental e social. Essa definição foi adotada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), órgão criado pela Organização das Nações Unidas (ONU).
A data fixada em 7 de abril de 1948 pela Organização Mundial da Saúde fundamenta-se no direito do cidadão e na obrigação do Estado em promover a saúde. Nem sempre quem não apresenta os sintomas típicos de uma doença pode se dizer saudável. Uma pessoa só é considerada saudável quando o seu corpo e a sua mente estão funcionando em harmonia, proporcionando bem-estar.A saúde tornou-se uma questão mundial e a responsabilidade pelo bem-estar de todos os povos menos favorecidos é de toda humanidade. Assim atua a Organização Mundial da Saúde, ajudando os governos dessas nações a planejarem e organizarem seus programas de “saúde pública”, promovendo a melhoria nos padrões sanitários, acesso da população à educação e erradicação da fome.
Para ter uma boa saúde é preciso adotar hábitos saudáveis, como:
- alimentação adequada;
- evitar a automedicação;
- cuidar da higiene pessoal;
- dormir o necessário e tranqüilamente;
- praticar exercícios físicos regularmente.
Sugestão de leitura: Sujo, eu?!
de David Roberts, Companhia Editora Nacional
Bebeto tem hábitos bem nojentos, e a sua família não gosta nem um pouco disso. Todo mundo espera que ele mude, mas...

18 - DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL


O dia escolhido homenageia o nascimento do escritor José Bento Monteiro Lobato (1882/1938). A ele são atribuídos a honra e mérito de ser o criador da literatura infantil no Brasil.
O Dia Nacional do Livro Infantil foi instituido pela Lei no 10.402 de 08 de janeiro de 2002.
Monteiro Lobato construiu um universo caracterizado por um cenário natural, enriquecido pelo folclore brasileiro.
O autor desenvolveu sete personagens fixos (Narizinho, Pedrinho, Dona Benta, Visconde de Sabugosa, Tia Anastácia e Tio Barnabé) e 23 livros: Reinações de Narizinho (com onze histórias), Caçadas de Pedrinho, O Saci, Emília no País da Gramática, Aritmética da Emília, Memórias da Emília, Fábulas, Histórias de Tia Anastácia, Peter Pan, Histórias Diversas, Viagem ao Céu, O Poço do Visconde, O Pica-pau Amarelo, Aventuras de Hans Staden, A Reforma da Natureza, História das Invenções, Geografia de Dona Benta, O Minotauro, Sertões de Dona Benta, Histórias do Mundo para as Crianças, D. Quixote das Crianças, A Chave do Tamanho, Os Doze Trabalhos de Hércules, além das obras de tradução.
Monteiro Lobato acompanhou gerações de ávidos pequenos leitores, e nada melhor do que comemorar este dia perpetuando a tradição: incentive a leitura, leia muito e leia sempre!
Sugestão de leitura: Contos de fadas
de Charles Perrault, Companhia Editora Nacional
Tradução de Monteiro Lobato
Os mais famosos contos de fadas, reunidos em uma só obra.
Toda a doçura de: A capinha vermelha, As fadas, Barba Azul, O gato de botas, Pele de asno, A gata borralheira, Riquet topetudo, A bela adormecida e O pequeno polegar.
São contos que vão garantir às crianças diversão e belas noites de sono.



19 - DIA DO ÍNDIO


Quando os portugueses chegaram ao Brasil em 1500, encontraram uma natureza exuberante e um povo nativo muito diferente do europeu. Como acreditavam ter chegado à Índia, que era o destino de sua viagem, apelidaram esse povo de índio.
Para os colonizadores europeus, todos os nativos eram índios. Essa generalização proposital favoreceu a dominação desses povos. Na verdade, existiam muitas nações, com uma incrível variedade de tradições, idiomas, manifestações artísticas e modos de vida, que viviam disputando territórios.
O que os igualava era o respeito à natureza, afinal, era dela que eles dependiam para viver: onde caçavam, pescavam, colhiam frutos e raízes. No início, os europeus se aproveitaram dessa diversidade e usaram o índio como aliado. Porém, logo decidiram torná-lo escravo e, nessa luta, inúmeras populações foram praticamente destruídas.
Em 19 de abril de 1940, o 1o Congresso Indigenista Interamericano, reunido no México, instituiu o Dia do Índio. No Brasil, o dia foi oficializado a partir de 1943, por decreto do então presidente Getúlio Vargas, graças ao empenho motivador do marechal Cândido Rondon, um dos primeiros a se preocupar com essa questão no país.
De origem indígena, marechal Rondon estimulou a criação do Serviço de Proteção ao índio (SIP), atual Fundação Nacional do índio (FUNAI), cuja responsabilidade crítica diz respeito à preservação de nossa memória cultural e, principalmente, à preservação da cultura indígena.
Sua tarefa principal é promover a educação básica aos índios, demarcar, assegurar e proteger as terras por eles tradicionalmente ocupadas, estimular o desenvolvimento de estudos e pesquisas sobre os grupos indígenas.
Além disso, é de sua competência defender as comunidades indígenas; despertar o interesse da sociedade nacional pelos índios e suas causas; gerir o seu patrimônio e fiscalizar as suas terras, impedindo as ações predatórias dos seculares aproveitadores, e outras que ocorram dentro de seus limites e representem risco à vida e à preservação desses povos.
A realidade indígena hoje é diferente de quando eles eram os donos desta terra. Obrigados a viver em áreas cada vez menores, os índios foram, gradativamente, perdendo seus hábitos e costumes. O contato com o homem branco contribuiu para essa aculturação, além de levar doenças e outros males para dentro das aldeias.
Muitos índios buscaram fugir da miséria migrando para os grandes centros urbanos. Mas, vítimas de preconceito e sem conseguir se integrar, transformaram-se em indigentes; uma triste realidade que em nada lembra os tempos gloriosos de guerreiros e caçadas.



21 - DIA DE TIRADENTES

Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, nasceu em Pombal, Minas Gerais em 12 de novembro de 1746.
Aos nove anos, ficou órfão de mãe e, aos onze, órfão de pai. Bem cedo começou a trabalhar como vendedor ambulante e, mais tarde, tornou-se dentista, profissão que lhe valeu o apelido. Mal remunerado, tentou a carreira no regimento e alcançou o posto de alferes (hoje, 2o tenente).
Naquela época, as forças opressoras dos colonizadores privilegiavam os homens de origem portuguesa em detrimento dos brasileiros natos.
Um dos impostos mais agressivos obrigava ao mineiro entregar a quinta parte da extração à coroa portuguesa, caso contrário ocorria o processo de “derrama”, ou seja, a cobrança à força.
Esse regime gerava um descontentamento geral até que um grupo de intelectuais se uniu pelo do fim da derrama e em favor da independência do Brasil, num movimento revoltoso chamado de Inconfidência Mineira, ocorrido em 1789, na cidade de Vila Rica, hoje Ouro Preto. Entre eles, estava Tiradentes. O idealismo de Tiradentes o levou a se envolver de corpo e alma na Inconfidência Mineira e, após retornar de uma viagem feita ao Rio de Janeiro, onde teve contato com novas idéias políticas e filosóficas chegadas da Europa, passou a divulgar em público os propósitos do movimento mineiro.
Um de seus companheiros, Silvério dos Reis, denunciou o grupo e todos foram levados ao tribunal. Os acusados acabaram desertando, porém, Tiradentes manteve-se fiel ao ideal, assumindo toda a culpa pelo movimento.
Foi preso, levado ao Rio de Janeiro, onde ficou confinado numa cela durante três anos, durante o processo de investigação conhecido como “devassa”.
Interrogado, inocentou os companheiros do movimento, assumindo a responsabilidade da conspiração. Em 18 de abril de 1789, Tiradentes ouviu sua sentença de morte, sob a acusação de alta traição.
No dia 21 de abril de 1792, antes de ser enforcado, no campo da Lampadosa – atual Praça Tiradentes, no Rio de Janeiro – , disse: “Cumpri a minha palavra! Morro pela liberdade!”. Depois, seu corpo foi esquartejado e espalhado por pontos estratégicos da cidade, como exemplo a futuros opositores. Pelo seu martírio em prol dos ideais de liberdade da pátria e do indivíduo, em 1822 Tiradentes foi reconhecido como mártir da Inconfidência Mineira e, em 1865, proclamado “Patrono Cívico da Nação Brasileira”.


Maio

01 - Dia mundial do trabalho

13 - Abolição da escravatura

Dia das mães


01 - DIA MUNDIAL DO TRABALHO


O Dia Mundial do Trabalho foi criado em 1889 por um Congresso Socialista realizado em Paris. A data foi escolhida em homenagem à memória dos mártires de Chicago e ao que esse dia significou na luta dos trabalhadores por seus direitos.
Numa greve geral, acontecida em 1o de maio de 1886, em Chicago, o principal centro industrial dos Estados Unidos naquela época, milhares de trabalhadores foram às ruas para protestar contra as condições de trabalho com passeatas e discursos, reivindicando melhores condições de trabalho. A polícia reagiu violentamente e vários trabalhadores foram presos, feridos e mortos.
No Brasil, o 1o de maio também foi a data escolhida, pelo governo de Getúlio Vargas, para criar o salário mínimo (1940), medida que beneficiou diretamente mais de 1 milhão de trabalhadores, e a Justiça do Trabalho (1941), órgão responsável pela conciliação e julgamento dos dissídios individuais e coletivos, controvérsias oriundas de relações do trabalho e dos direitos trabalhistas. Com sede em Brasília, a Justiça do Trabalho é composta pelo Tribunal Superior do Trabalho, por tribunais regionais e por juntas de conciliação e julgamento.
No Brasil, a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente proíbem o trabalho infantil. Infelizmente, existem milhares de crianças de 5 a 14 anos de idade trabalhando em lavouras, carvoarias, olarias, pedreiras, mercado informal e atividades domésticas, sem nenhum tipo de remuneração e, o que é muito pior, sem direito de freqüentar a escola.
O trabalhador é peça-chave na sociedade. Por isso, todo e qualquer tipo de trabalho honesto deve receber admiração e respeito.
Sugestão de leitura: A galinha ruiva
Um conto popular inglês, Companhia Editora Nacional.
Uma galinha muito esperta mostra como é feio ser preguiçoso.



13 - ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA

A escravidão no Brasil teve início a partir da colonização, quando alguns grupos indígenas foram escravizados pelos colonizadores que aqui chegaram. Os protestos da Igreja católica, a crescente resistência dos índios à escravidão e o crescimento do tráfico negreiro, substituiu a mão-de-obra indígena pela mão-de-obra negra.
Os escravos negros eram capturados nas terras onde viviam na África e trazidos à força para as Américas em grandes navios negreiros, em condições miseráveis e desumanas; muitos morriam durante a viagem, vítimas de doenças, maus tratos e fome.
Além da mão-de-obra fundamental nas plantações de cana-de-açúcar e algodão, o escravo era uma mercadoria que podia ser vendida, alugada, doada e leiloada.
O escravo era visto na sociedade colonial como símbolo de poder e prestígio; quanto maior o número de escravos, maior a importância social de quem os possuía.
Por mais de três séculos, o trabalho escravo foi predominante na sociedade brasileira e o Brasil foi o último país da América a abolir a escravidão, quando, no dia 13 de maio de 1888, foi sancionada a Lei Áurea pela princesa Isabel, filha de D. Pedro II.
A lei determinou a libertação imediata dos cerca de 700 mil escravos que existiam no Brasil.

DIA DAS MÃES

Prestar homenagens às mães é uma tradição bastante antiga. Na Grécia, havia uma festa em honra a Rhea, Mãe dos Deuses; os judeus faziam uma grande festa no início de março, chamada Matronalia.
Na Idade Média, os ingleses mais pobres moravam na casa de seus patrões e ficavam longe de suas famílias, por isso, foi criado o Mothering Day, que permitia aos empregados voltarem para seus lares para passar esse dia com suas mães.
A data como conhecemos hoje é uma criação moderna. Uma jovem professora norte-americana, Anna M. Jarvis, perdeu sua mãe e entrou em profunda depressão. Preocupadas com tanto sofrimento, algumas amigas de Anna resolveram fazer uma festa para perpetuar a memória da mãe de Anna.
Mas Anna queria que a homenagem fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas, e começou a escrever aos ministros, jornalistas e políticos, buscando estabelecer o Dia das Mães. Sua campanha prosperou e, em 1911, o Dia das Mães foi celebrado em quase todos os estados norte-americanos.
Em 1914, o presidente Wilson decretou oficialmente o Dia das Mães como um feriado nacional, fixado no segundo domingo de maio de cada ano.
No Brasil, o primeiro Dia das Mães foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou o feriado.



Junho

05 - Dia mundial do meio ambiente

10 - Dia da língua portuguesa

12 - Dia dos namorados

25 - Dia do imigrante

26 - Dia internacional contra as drogas

Festas Juninas

05 - DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE


Meio ambiente é um termo que engloba tanto a paisagem de uma região do mundo como as condições que influem no tipo de vida que podem levar ali as pessoas, os animais e as plantas.
O Dia Mundial do Meio Ambiente é lembrado em todos os países desde que a Organização das Nações Unidas (ONU) realizou a primeira conferência sobre este tema – ambiente humano – em 1972, conhecida como Conferência de Estocolmo. No dia 5 de junho muitas pessoas e organizações celebram, o milagre da vida e a beleza da natureza, de várias maneiras, com paradas e concertos, competições ciclísticas, lançamentos de campanhas de limpeza nas cidades etc. Essas celebrações são também atos políticos, chamando a atenção para os problemas e riscos que corremos com a degradação, a poluição e o desrespeito ao ambiente em que vivemos.
A Constituição brasileira diz que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, essencial a uma qualidade de vida sadia, e que todos os cidadãos e o poder público devem preservá-lo e defendê-lo para as presentes e futuras gerações.
Cuidar do ambiente significa comprometer-se em preservar, evitando qualquer interferência humana, bem como conservar, usando com responsabilidade para que mantenha a sua capacidade de se regenerar, sem perder a sua vitalidade e a diversidade de suas espécies; significa encontrar formas e áreas de preservação, conservação e desenvolvimento sustentável.

Sugestão de leitura: Baltazar e a casa dos animais
de Emma Kelly e Marie-Hélène Place, Companhia Editora Nacional.
Depois de ver fotos da viagem de tia Amélia, Baltazar descobre que quer ser zoólogo. Ao cuidar de alguns animais que vivem em sua casa, ele aprende algo muito importante sobre a natureza.



10 - DIA DA LÍNGUA PORTUGUESA

O mundo que fala português, chamado lusófono, tem atualmente 250 milhões de pessoas, das quais 80% estão no Brasil. É a quinta língua mais falada do planeta e a terceira mais falada entre as línguas ocidentais, depois do inglês e do castelhano. Por essa importância, seu ensino é obrigatório nos países que compõem o Mercosul.
O português é a língua oficial em Portugal, Ilha da Madeira, arquipélago dos Açores, Brasil, Moçambique, Angola, Guiné-Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe e, também, embora não oficialmente, é falado por uma pequena parte da população de Macau (território chinês que foi administrado pelos portugueses até 1999), no estado de Goa, na Índia (que foi possessão de Portugal até 1961) e no Timor Leste, na Oceania (administrado pelos portugueses até 1975, quando foi tomado pela Indonésia e, atualmente, administrado pela ONU).
O fato de a língua portuguesa estar espalhada pelos continentes se deve à política expansionista de Portugal, nos séculos XV e XVI, levando para as colônias essa língua tão rica, que se misturou a crenças e hábitos muito diversos, e acabou simplificada em vários dialetos chamados de “crioulos” nas colônias européias de além-mar.
Do século IX ao XII, aparecem registros de alguns termos portugueses em escritos, mas o português era basicamente uma língua falada. O português em Os Lusíadas, de Luís de Camões – referenciado como o maior poeta da língua portuguesa –, em 1572, é muito próximo do português atual por sua semelhança na estrutura da frase e no aspecto formal das palavras.
A existência de duas maneiras de escrever as palavras oficiais da língua portuguesa, a lusitana e a brasileira, tem sido motivo de várias tentativas de unificação da língua, o que é considerado como importante para a própria valorização do idioma.
A Academia Brasileira de Letras e a Academia das Ciências de Lisboa vêm trabalhando em vários acordos ortográficos entre Portugal e Brasil. Em 1971, no Brasil, e, em 1973, em Portugal, foram promulgadas leis que diminuíram, mas não acabaram com as divergências ortográficas entre os dois países.

12 - DIA DOS NAMORADOS

O Dia dos Namorados é comemorado no mundo todo em 14 de fevereiro e conhecido como Valentine’s Day. No Brasil, inspirada nessa tradição, a festa ocorre no dia 12 de junho, véspera do dia de Santo Antônio, considerado o “santo casamenteiro” e “padroeiro dos namorados”.
Porém, a explicação para a escolha desse dia não é romântica. Precisando melhorar as vendas do comércio em junho, mês considerado fraco, que depois das vendas para a festa do dia das mães, quase sucumbia até agosto, quando os pais são lembrados, uma loja de departamentos contratou uma agência de propaganda. Em 1949, o publicitário João Dória elaborou uma campanha inspirada no Valentine’s day, um sucesso no comércio dos países que comemoravam a data, lançando o slogan “não é só de beijos que se prova o amor”, incentivando a troca de presentes e instituindo o dia dos namorados.
O resultado foi bastante satisfatório para os comerciantes que vibram até hoje, pois a festa tornou-se parte integrante do calendário das tradições brasileiras.
Sugestão de leitura: O mocinho, a mocinha e o vento bandido
de Odette de Barros Mott, Companhia Editora Nacional.
As desventuras do herói Mocinho em busca de sua namorada Mocinha, que foi raptada pelo Vento Bandido. Mocinho encontrará Mocinha a tempo? Um conto escrito de forma poética por Odette de Barros Mott para entreter crianças e jovens.

25 - DIA DO IMIGRANTE

O Dia do Imigrante é comemorado em 25 de junho, em homenagem àquelas pessoas que vivem num país que não é o seu país de origem.
São muitos os fatores que levam uma pessoa a imigrar, saindo do país onde nasceu para viver em outro país, muitas vezes com culturas e idiomas diferentes. A oportunidade de fazer cursos, o espírito de aventura, a fome, a guerra, motivos políticos, a busca de empregos e de uma melhor qualidade de vida são os motivos mais comuns.
Diariamente convivemos com representantes de diversos povos do mundo inteiro e seus descendentes, com características físicas e culturais diversas daquelas que são comuns aos brasileiros, mas que um dia chegaram ao Brasil, trazendo seus costumes, suas crenças e suas idéias e fizeram dele sua pátria.
Na cidade de São Paulo, foi construída e inaugurada a ‘hospedaria do imigrante” durante a presidência do conde de Parnaíba que, em execução à lei de 21 de março de 1885, foi destinada a receber os imigrantes procedentes de outros países ou de outros estados da União.
Nesse prédio foi criado em 1998 o Memorial do Imigrante, composto pelo Museu da Imigração, pelo Centro de Pesquisa e Documentação e pelos núcleos dos Transportes e de Estudos e Tradições.
O Museu da Imigração, fundado em 1993. Com o propósito de preservar e divulgar a importância da imigração nas origens históricas da cidade e do país, exibe móveis, documentos, fotografias e o registro de todos os imigrantes que passaram por lá.
26 - DIA INTERNACIONAL CONTRA AS DROGAS
O dia 26 de junho foi designado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o “dia internacional da luta contra o uso e o tráfico de drogas”. No Brasil, foi adotado o “dia nacional de combate às drogas”, devido à gravidade e às proporções do problema, um desafio para a saúde pública no país.
Todos os países do mundo convivem com o problema das drogas; a cada dia o consumo aumenta e os chamados “cartéis”, com suas rotas de contrabando e seus “funcionários” não param de crescer.
Autoridades governamentais investem enormes quantias para tentar reduzir o uso de drogas e acabar com o seu fornecimento, diante da situação alarmante do aumento do vício e do contrabando.
Esse problema que atinge a sociedade e principalmente os jovens, tanto das grandes cidades como das regiões mais afastadas dos centros urbanos, de todas as camadas sociais, exige um enorme esforço de toda a sociedade para combatê-lo. O melhor caminho é a prevenção; essa estratégia preventiva começa na família e nas salas de aula, mas o apoio às iniciativas que reeducam e reintegram os jovens ao convívio social, livres do vício e da violência, é de suma importância.

FESTAS JUNINAS

A tradição de celebrar o mês de junho é antiga. Rituais pagãos com fogueiras, danças e muita comida faziam parte das festividades no início da colheita, há mais de dois mil anos.
Nos países católicos da Europa, as festas juninas são uma tradição desde o século IV. Em homenagem a São João, santo que sempre teve mais devotos no continente europeu, as festas receberam o nome de festas joaninas.
As festas juninas foram trazidas para o Brasil pelos portugueses, no século XVI, como uma forma de agradecer pelas colheitas e também para homenagear os santos de junho, Santo Antônio no dia 13 de junho, São João no dia 24 de junho e São Pedro no dia 29 de junho.
Desde então, pertencem ao folclore brasileiro e fazem parte do calendário das festas nacionais. O espaço onde se reúnem todos os festejos desse período é chamado de arraial e é geralmente decorado com bandeirinhas de papel colorido, balões e palha de coqueiro.
No arraial acontecem as brincadeiras, os forrós, bingos e os casamentos caipiras durante a dança das quadrilhas típicas. Não pode faltar o quentão, o vinho quente, os doces de milho verde, como pamonha, mungunzá (NE) ou canjica, paçoca, pipoca, pé-de-moleque, bolo de fubá, curau, tapioca e tantos outros.


JULHO

09 – DIA DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932
20 – Dia Internacional da Amizade 26 – Dia dos Avós 28 – Dia do Agricultor


09 - DIA DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932

A Revolução Constitucionalista ocorrida em 1932 em São Paulo, durante o Governo Provisório de Getúlio Vargas, é um dos acontecimentos mais importantes da história política brasileira.

Com a Revolução de 1930, São Paulo perdeu sua hegemonia na política nacional e o governo do estado passou para o controle de Getúlio Vargas, que nomeou um interventor de fora, o militar pernambucano João Alberto Lins de Barros. Tal fato desgostou os paulistas, sobretudo os dirigentes do Partido Republicano Paulista (PRP) e do Partido Democrático, que por não se conformarem com o fato de São Paulo estar sendo comandado por um não-paulista, se uniram e formaram a Frente Única para exigir a autonomia política para São Paulo e a reconstitucionalização do país, com a convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte.

Cedendo as pressões, Getúlio Vargas nomeou um novo interventor para São Paulo, o civil paulista Pedro de Toledo, e marcou a data para a eleição do membro da Assembléia Constituinte.

Apesar dessas concessões, a onda de descontentamento e agitação prosseguiu. Na noite de 23 de maio de 1932, um grupo de estudantes e populares tentou invadir a sede do partido favorável a Getúlio Vargas, na Praça da República. Houve resistência e quatro estudantes de Direito foram mortos: Martins, Miragia, Dráuzio e Camargo, fato que deu origem à sigla MMDC, que foi usada para denominar um grupo radical contra Getúlio Vargas.

Em 9 de julho de 1932 eclodiu a Revolução Constitucionalista. O general Isidoro Dias Lopes comandou as forças paulistas que foram assediadas por todos os lados pelas tropas do governo federal. Cerca de 135 mil paulistas lutaram, incansavelmente, por três meses. No dia 2 de outubro de 1932, sem armas, sem munição e sem o apoio de outros estados, São Paulo foi obrigado a se render às forças federais de Getúlio Vargas.

Em 1997, o governador de São Paulo instituiu o dia 9 de julho como feriado estadual para homenagear o “Dia do Soldado Constitucionalista”. O Obelisco do Ibirapuera é uma homenagem a Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo e simboliza uma espada fincada, ferindo o coração (simbolizado pela praça) do estado de São Paulo. Em memória desses estudantes, mortos no dia 23 de maio de 1932, vítimas da repressão, foi instituído o “Dia da Juventude Constitucionalista”.


20 - DIA INTERNACIONAL DO AMIGO E DA AMIZADE


A origem do “dia do amigo” é recente e controversa. Diz-se que o argentino Enrique Febbaro foi o seu criador, depois de perceber o esforço do ser humano para estabelecer relações além do nosso planeta. Com a chegada do homem à Lua, em 20 de julho de 1969, Enrique decidiu usar essa data para fazer uma grande festa dedicada à amizade. Esse fato se espalhou por outros países e o dia 20 de julho foi adotado e é comemorado em quase todo o mundo como o “dia internacional da amizade e do amigo”.

A palavra amizade, segundo o dicionário Cegalla, significa sentimento de afeição; estima. Boa convivência; entedimento. Mas a amizade vai muito além dessa definição para quem traz esse sentimento. Ter ou ser amigo é muito mais que estar ligado a outra pessoa por laços de amizade.
Os amigos sempre fazem a diferença no decorrer da vida do ser humano que, durante toda a sua trajetória, tem o prazer de desfrutar da companhia de diferentes tipos de amigos. O amigo da infância, o amigo da adolescência, o amigo do trabalho, o amigo de farra, o amigo para desabafar, o amigo para envelhecer junto e recordar o passado... Não importa a época da vida ou o tipo de amizade, o que importa é a conexão entre as pessoas e o sentimento verdadeiro de amor fraterno e respeito que as une.
Aproveite o “dia internacional da amizade e do amigo” para agradecer por todos os amigos que a vida lhe deu.


Confira algumas frases sobre amizade.

"O desejo de ser amigo é um trabalho rápido, mas a amizade é uma fruta que amadurece lentamente.”
"O que é um amigo? Uma única alma habitando dois corpos”.
Aristóteles (século IV a.C)
"Eu mantenho meus amigos, como o avarento seu tesouro, porque, de todas as coisas que a sabedoria nos garante, nenhuma é tão grande, ou melhor, do que a amizade.” Pietro Aretino (1537)
"Segure um verdadeiro amigo com ambas as mãos.” Provérbio nigeriano
"O amigo ama o tempo todo.” Bíblia Sagrada: Provérbios 17,17
"Amizade é Amor sem asas!” Lord Byron (1806)
"A única maneira de ter um amigo é ser um.”
"Um amigo é uma pessoa com quem eu devo ser sincero.” Ralph Waldo Emerson
"Meu amigo é aquele que me fala das minhas faltas em particular.” Solomon Ibn Gabirol
"O melhor espelho é um velho amigo.” George Herbert
"Não pode haver amizade onde não há liberdade.” William Penn
"Seu amigo é quem sabe tudo sobre você e ainda gosta de você.” Elbert Hubbard
"Um homem não é inútil, enquanto ele tem um amigo.”
"Um amigo é um presente que você dá a si mesmo.” Robert Louis Stevenson
“A amizade é um amor que nunca morre.” Mário Quintana
“Raros são os homens dotados de bastante caráter para se regozijarem com os sucessos de um amigo sem uma sombra de inveja.” Ésquilo
“A amizade começa quando, estando juntas, duas pessoas podem permanecer em silêncio sem se sentirem constrangidas.” Tyson Gentry
“A amizade sempre é proveitosa, o amor às vezes é.” Sêneca
“Amigo é igual parafuso: a gente só sabe que é bom na hora do aperto.” Anônimo

“Censura teus amigos na intimidade e elogia-os em público.”
Ditado latino
“A amizade começa onde termina ou quando conclui o interesse.”
Cícero
“Se um amigo deixa de o ser é porque nunca o foi verdadeiramente.”
Provérbio
“O que mais impede de ter um bom amigo é o empenho em ter muitos. A amizade quer ser antiga.” Plutarco
”Não sei se, com exceção da sabedoria, os deuses imortais ofereceram ao homem alguma coisa melhor que a amizade.” Cícero
“Um irmão pode não ser um amigo, mas um amigo será sempre um irmão.” Demétrio








25 - DIA NACIONAL DO ESCRITOR

Em 1960, após o sucesso do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado pela União Brasileira de Escritores, pela iniciativa de seu presidente João Peregrino Júnior, e de seu vice-presidente, Jorge Amado, um decreto governamental definiu o dia 25 de julho como o “Dia Nacional do Escritor”.
Todo bom escritor é também um leitor assíduo. Ser escritor é dar asas ao pensamento e à criatividade, sem encontrar limites no tempo nem no espaço; é observar a vida e tirar proveito das particularidades do cotidiano; é transformar tudo que observa em matéria-prima para seu trabalho.
Apesar de cada um ter o seu próprio estilo de escrever e de expressar a realidade de seu mundo, o escritor é um inventor de histórias, um sonhador, um observador, um romântico...; além de carregar a responsabilidade pela formação de opinião de alguém que lê seus escritos.


Agosto


Segundo domingo - Dia dos Pais

11 – Dia do Estudante

21 – Dia da Habitação

22 – Dia do Folclore

25 – Dia do Soldado

27 - Dia Nacional de combate ao fumo


DIA DOS PAIS

A origem do “dia dos pais” é semelhante à do “dia das mães” ambas as datas têm como objetivo principal fortalecer os laços familiares e o respeito por aqueles que nos deram a vida.

Em 1909, em Washington, Estados Unidos, Sonora Louise Smart Dodd, ao ouvir o sermão dedicado às mães, teve a idéia de celebrar o “dia dos pais” para homenagear seu pai, um veterano da guerra civil, John Bruce Dodd, que viu sua esposa falecer em 1898 ao dar a luz ao sexto filho do casal, e que teve que criar o recém-nascido e os outros cinco filhos sozinho. Já adulta, Sonora sentia-se orgulhosa de seu pai ao vê-lo superar todas as dificuldades para criar seus filhos sem a ajuda de ninguém.

Em 1910, Sonora enviou uma petição à Associação Ministerial de Spokane, cidade localizada em Washington, Estados Unidos. O primeiro “dia dos pais” norte-americano foi comemorado em 19 de junho daquele mesmo ano, no dia do aniversário do pai de Sonora. Pouco tempo depois, a comemoração se espalhou por outras cidades americanas e, em 1972, Richard Nixon proclamou o terceiro domingo de junho como o “dia dos pais”.

No Brasil, a data é comemorada no segundo domingo de agosto e foi festejada pela primeira vez no dia 14 de agosto de 1953, dia de São Joaquim, patriarca da família. A comemoração foi copiada dos Estados Unidos pelo publicitário Sylvio Bhering e teve sua data alterada de junho para agosto por motivos comerciais.

Hoje se comemora o “dia dos pais” em muitos países, cada um a seu modo, em datas diversas e conforme seus costumes.



11 - DIA NACIONAL DO ESTUDANTE


Os estudantes brasileiros interessados em entender melhor o universo das leis tinham que cruzar o oceano para chegar à faculdade mais próxima, localizada em Coimbra, Portugal. Por este motivo, D. Pedro I instituiu no Brasil, no dia 11 de agosto de 1827, os dois primeiros cursos de ciências jurídicas e sociais do país: um em São Paulo, na capital paulista, onde o curso foi acolhido pelo Convento São Francisco, um edifício de taipa construído por volta do século XVII, e o outro em Olinda, posteriormente transferido para Recife. Na faculdade do Largo São Francisco se formaram nove presidentes da República, inúmeros escritores, poetas e artistas.

Por ocasião da comemoração do centenário da criação dos cursos jurídicos, foi sugerido por Celso Gand Ley que o dia da fundação da Faculdade de Direito da cidade de São Paulo, 11 de agosto de 1927, fosse escolhido para homenagear os estudantes brasileiros, se tornando o “dia nacional do estudante”.

O estudante também é lembrado no dia 17 de novembro quando se festeja o “dia internacional do estudante”.


22 - DIA DO FOLCLORE

O folclore é uma expressão de cultura e todos os povos têm o seu próprio folclore. Conhecer e estudar o folclore significa contribuir para que ele se mantenha vivo, passando de uma geração para outra a cultura de um povo.

No Brasil, o “dia do folclore” é comemorado em 22 de agosto. Nosso folclore é um dos mais ricos do mundo e nele estão presentes características dos povos que contribuíram para a formação de nossa nação, principalmente os africanos, os indígenas e os europeus; dessa mistura nasceram histórias e personagens fantásticos que enchem a imaginação do povo brasileiro. Um dos principais estudiosos folcloristas do Brasil foi Luís da Câmara Cascudo (1898-1986).

O Brasil é rico em cultura e natureza e possui tradições que vão além daquilo que se pode imaginar. Ciranda, trava-línguas, quadrinhas, canções de ninar, benzeduras para quebrantos, chás para males incuráveis, reza para quebrar encantos, amuletos de proteção, histórias de bruxas, sacis, boi-bumbá, cucas, lobisomem, mulas-sem-cabeça, curupira e outras lendas do sertão, festas, mitos, costumes, crendices, superstições, parlendas, danças para todos os gostos, muita comida e bebida, esse é um pedacinho do folclore brasileiro.

Faz parte do folclore brasileiro:

Danças: é um dos pontos mais fortes da cultura brasileira. Uma seqüência de gestos, passos e movimentos corporais, acompanhados por um ritmo musical e expressando estados emocionais dão origem a um determinado tipo de dança, seja ela ritual, mágica, religiosa, voltada para a guerra ou para a arte. Danças de destaque no folclore brasileiro:




- BUMBA-MEU-BOI: a região Nordeste do Brasil é considerada o berço dessas danças e a mais popular acontece no Amazonas, onde o folclore caboclo é celebrado nas fantasias dos blocos de boi-bumbá “Garantido” e “Caprichoso”, versão amazonense muito popular do bumba-meu-boi.

- CALANGO: dança praticada nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, o calango é composto de cantos e bailes, com acompanhamento de uma orquestra ou simplesmente uma sanfona. Os casais dançam enlaçados, em estilo de samba, com coreografia livre.

- CAPOEIRA: trazida por escravos africanos, era praticada com os pés e a cabeça para defesa contra os europeus, que lutavam com as mãos, tanto para o ataque como para a defesa. Sua prática tornou-se popular em todo o país, sempre ao som do berimbau e das palmas.

- CURURU: de origem tupi-guarani, é considerada uma dança sagrada para os índios brasileiros. Dança paulista, goiana e mato-grossense, é praticada exclusivamente por homens, acompanhados pelo som de violas, adufe e reco-reco, e cantada por dois violeiros num desafio poético dedicado a um santo.

- FREVO: é uma dança coletiva de rua ou salão, considerada a maior atração do carnaval pernambucano. Embora seja uma dança de multidão, os foliões dançam de modos diversos e seu símbolo é o guarda-chuva, que serve para manter o equilíbrio dos passistas.

- MARACATU: dança de origem africana baseada nas cerimônias de coroação dos reis do Congo, é marcada apenas com percussão. Na necessidade de mostrar sua força e poder, os chefes tribais vindos do Congo e Angola fizeram dessa dança uma tradição e um símbolo da resistência negra contra a dominação portuguesa, mesmo durante a escravidão. O maracatu faz parte do carnaval pernambucano.

– MAXIXE: foi o primeiro tipo de dança urbana surgida no Brasil. Era dançado em forrós, gafieiras e cabarés do Rio de Janeiro, por volta dos anos 1870, por homens de classes mais privilegiadas, em busca da sensualidade das danças africanas, e por mulheres de classes inferiores ou meretrizes. Pela maneira de se dançar, esse ritmo foi muito criticado e perseguido e recebeu o nome de “tango brasileiro”, só passando a ser considerado um gênero musical de dança genuinamente brasileiro no final do século XIX.

Provérbios e ditados populares: com significado verdadeiro, é uma forma de se dar um conselho para alguém, como:


- "Não deixe para amanhã o que pode ser feito hoje.”
- "Aquilo que os olhos não vêem o coração não sente.”
- "Mais vale um pássaro na mão do que dois voando.”

- "Tempo é dinheiro.”

- "Não há bem que sempre dure, nem mal que sempre ature”.”

- "Quem semeia vento, colhe tempestade.”

- "Quem não tem cão, caça com gato.”

- "Macaco velho não bota a mão em cumbuca.”

- “Pior cego é o que não quer ver.”

- “As aparências enganam.”

- “Em terra de cego, quem tem olho é rei.”

- “Quem diz o que quer, ouve o que não quer.”

- “Por fora, bela viola. Por dentro, pão bolorento.”

- “Em boca fechada, não entra mosca.”

- “Mais vale um hoje do que dois amanhãs.”

- “Um homem prevenido vale por dois.”

- “Cuidado com o andor que o santo é de barro.”

- “Apressado come cru.”

- “A união faz a força.”

- “Quem vê cara não vê coração.”


Frases feitas:

- DAR NO PÉ. Quer dizer fugir, ir embora bem depressa.
- BICHO-DE-SETE-CABEÇAS. Quer dizer um problema muito complicado.
- DAR NÓ EM PINGO D'ÁGUA. Quer dizer fazer uma coisa muito difícil.
- FAZER COM O PÉ NAS COSTAS. Quer dizer fazer algo com muita facilidade.
- DEIXAR A PETECA CAIR. Quer dizer desistir, desanimar.
- DOR-DE-COTOVELO. Quer dizer inveja ou ciúme.
- MATANDO CACHORRO A GRITO. Quer dizer estar numa situação bem difícil.
- FICAR COM A PULGA ATRÁS DA ORELHA. Quer dizer ficar desconfiado.
- PINTAR O SETE. Quer dizer fazer muita bagunça.
- MARIA-VAI-COM-AS-OUTRAS. Quer dizer a pessoa que só faz o que os outros fazem.
- ENTRAR PELO CANO. Quer dizer se dar mal.
- TOMAR CHÁ DE SUMIÇO. Quer dizer desaparecer, ir embora.
- DAR UM RISO AMARELO. Quer dizer ficar encabulado, sem graça.
- VÁ LAMBER SABÃO. Quer dizer não perturbe, não aborreça, não enche.

Adivinhações:

- O que é o que é?
- Que quanto mais cresce menos se vê? (escuridão)

- Quem fica cheio de boca para baixo, e vazio de boca para cima?
(chapéu).

- Que cai em pé e corre deitada? (chuva)

- Que parte e reparte e fica sempre do mesmo tamanho? (amor de mãe)

- Tem cabeça e não é gente, tem dente e não é pente? (alho)

- Pula pro ar, dá um estouro e vira pelo avesso. (pipoca)

- Quem morre em pé? (vela)



Trava línguas: são frases que têm a finalidade de desenvolver uma boa dicção, principalmente para pessoas que têm dificuldades em articular as palavras corretamente.

- A fiandeira fia a farda do filho do feitor Felício.
- O peito do pé de Pedro é preto.
- O pinto pia, a pia pinga, quanto mais o pinto pia, mais a pia pinga.
- O rato roeu a roupa do rei de Roma.
- Vento veloz e vingativo varre a Várzea com violência voraz.
- O rato roeu a roupa do Rei de Roma a rainha com raiva resolveu
remendar.
- Três pratos de trigo para três tigres tristes.

Parlendas: são versos infantis com rimas, criados para divertir, acalmar, ajudar a decorar números ou escolher quem deve iniciar uma brincadeira.

"Um, dois, feijão-com-arroz.

Três, quatro, feijão no prato.

Cinco, seis, bolo inglês.

Sete, oito, comer biscoito.

Nove, dez, comer pastéis.”

"Batatinha quando nasce

se esparrama pelo chão.

Menininha quando dorme

põe a mão no coração.”

Coisas de assustar: histórias de assombrações e seres sobrenaturais são comuns em todo o Brasil e transmitidas de pai para filho.

- MULA-SEM-CABEÇA: segundo a lenda, toda mulher que fizesse algum mal ou namorasse um padre católico se transformaria em mula-sem-cabeça na noite de quinta para sexta-feira. Mesmo sem ter cabeça, a mula pode relinchar e tem cascos afiados. Seus coices machucam muito.

- BICHO-PAPÃO: é um bicho que tem o corpo peludo e os olhos vermelhos que vem pegar as crianças que não querem dormir.

- LOBISOMEM: trazido pelos portugueses, esse mito diz que todo filho nascido depois de sete filhas se transforma em lobisomem nas sextas-feiras de lua cheia.
Lendas e mitos: histórias e personagens que fascinam crianças e adultos transmitidos de geração em geração.

- SACI-PERERÊ: é o mais famoso personagem do folclore brasileiro, Tem apenas uma perna, usa um gorro vermelho, fuma cachimbo e aparece e desaparece quando quer. Ele é muito sapeca, vive aprontando e assustando as pessoas que tentam destruir as florestas.

- CURUPIRA: é um índio pequeno que tem os pés virados para trás e faz ruídos misteriosos, para confundir e assustar os caçadores e os agressores das matas.

- BOITATÁ: é um touro que tem um olho no meio da testa e protege as matas das pessoas que as incendeiam.

- CAIPORA: tem o corpo coberto de pêlos e percorre as matas montada num porco selvagem, para proteger os animais que vivem nas florestas.

- IARA, A MÃE-D’ÁGUA: ela vive no Rio Amazonas e nas noites de lua cheia fica em cima das pedras, penteando seus longos cabelos para atrair os jovens com quem deseja casar.

- NEGRINHO DO PASTOREIO: o negrinho perdeu alguns cavalos dos quais cuidava e por isso apanhou violentamente de seu patrão e foi jogado num formigueiro, de onde foi salvo por Nossa Senhora. Ele é conhecido como o protetor das pessoas que perdem alguma coisa.

Cantigas folclóricas

Ciranda Cirandinha

Ciranda, CirandinhaVamos todos cirandarVamos dar a meia voltaVolta e meia vamos dar.
O anel que tu me desteEra vidro e se quebrouO amor que tu me tinhasEra doce e se acabou
Por isso dona (nome de uma das crianças) Entre no meio desta rodaDiga um verso bem bonitoDiga adeus e vá se embora.

Esta rua tem um bosque

Esta rua, esta rua tem um bosque, Que se chama que se chama SolidãoDentro dele, dentro dele mora um anjoQue roubou que roubou meu coração.
Se eu roubei, se eu roubei teu coraçãoTu roubaste, tu roubaste o meu tambémSe eu roubei, se eu roubei teu coraçãoÉ porque, é porque te quero bem!

O Cravo brigou com a Rosa

O Cravo brigou com a RosaDebaixo de uma sacadaO Cravo saiu feridoA Rosa despedaçada.
O Cravo ficou doenteA Rosa foi visitarO Cravo teve um desmaioA Rosa pôs-se a chorar.

Samba Lelê

"Samba Lelê está doente Está com a cabeça quebrada Samba Lelê precisava De umas dezoito lambadas
Samba, samba, samba o Lelê Pisa na barra da saia, o Lelê!



A canoa virou

A canoa virou Por deixar ela virar. Foi por causa da Fulana Que não soube remar
Ai se eu fosse um peixinho E soubesse nadar Tiraria a Fulana Lá do fundo do mar.

Escravos de Jó

Escravos de Jó
Jogavam caxangá
tira, põe, deixa ficar
Guerreiros, com guerreiros.
fazem zigue, zigue, zá.
Guerreiros com guerreiros
fazem zigue, zigue,
Escravos de Jó...


29 - DIA NACIONAL DE COMBATE AO FUMO


O “Dia nacional de combate ao fumo” foi instituído pela Lei nº. 7488/86, a ser celebrado em 29 de agosto, com o objetivo de conscientizar a população sobre o assunto e diminuir os riscos de doenças causadas pelo tabagismo, como a bronquite crônica, o enfisema pulmonar e o câncer de pulmão, entre outras. A instituição desta data foi de suma importância, pois o uso excessivo de tabaco é um problema que deve ser levado muito a sério pelas autoridades civis e pela população em geral. Por isso a legislação é indispensável para a criação de políticas públicas para o fortalecimento de estratégias de desenvolvimento e de contribuição para uma sociedade sem a influência do tabaco.

Essa iniciativa também é praticada no mundo inteiro no dia 31 de maio, conhecido como o “dia mundial sem tabaco”, que movimenta todos os países na luta contra o vício.

A aplicação de medidas educativas e informativas para conscientização da população, de uma legislação bem definidas sobre o assunto, de programas de entidades públicas ou privadas, aliadas a um conjunto de estratégias econômicas, podem reduzir influência da indústria do tabaco.

Em 1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente proibiu a venda de produtos que podem causar dependência a menores de 18 anos.

A lei nº. 9294/96 regulamentou a publicidade, inserindo mensagens rotativas, proibindo o consumo de cigarros em locais fechados e transportes coletivos, definindo as áreas exclusivas para fumantes.

O Decreto nº. 3136/99, criou a Comissão Nacional para a preparação da posição do Brasil nas negociações para a Convenção de Controle do Tabaco, estabelecendo um prazo para apresentação de contribuições relativas à proposta desta convenção, por meio da Consulta Pública do Ministério da Saúde nº. 01, em 2000.

A Lei nº. 10167/00 alterou os dispositivos da Lei nº. 9294/96, proibindo a publicidade de cigarros e de outros produtos fumígenos em revistas, jornais, televisão, rádio e outdoors.

Em 2001, duas resoluções da Anvisa foram propostas: uma tornou obrigatória a exibição de imagens de alerta sobre os males causados pelo fumo, além de frases de advertência nas embalagens de produtos derivados do tabaco; a outra estabeleceu os teores máximos permitidos de alcatrão, nicotina e monóxido de carbono nos cigarros comercializados no Brasil.
O ato de fumar foi tido, durante muitos anos, como elegante, charmoso e símbolo de status. Sem que seus males fossem explicitados, a indústria de cigarros imprimiu uma maciça publicidade, associando o cigarro ao poder e à fama.
O consumo de cigarros é a mais devastadora causa evitável de doenças e mortes prematuras da história da humanidade.

Ainda que fumar não torne a pessoa mais agressiva ou eufórica, o seu padrão de consumo é típico de uma droga que produz dependência.

Portanto, seja inteligente: a melhor época para parar de fumar é agora, enquanto você ainda está saudável.


Setembro


05 – Dia da Amazônia

07 – Independência do Brasil

10 – Dia Nacional da Imprensa

18 – Dia dos Símbolos Nacionais

21 – Dia da Árvore

25 – Dia Nacional do Trânsito


05 - DIA DA AMAZÔNIA


A Amazônia é a maior área de floresta tropical do planeta. Ela ocupa dois quintos da América do Sul, avançando por nove países: Paraguai, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana Francesa, Suriname e Brasil, que detém 60% de sua totalidade, abrangendo os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e parte dos estados do Maranhão, Tocantins e Mato Grosso.
É um dos mais preciosos patrimônios ecológicos do planeta, representando 35% de todas as florestas do mundo. Considerada uma das mais antigas coberturas florestais e permanecendo estabilizada há cerca de 100 milhões de anos, a Floresta Amazônica é um grande bioma composto por diversos ecossistemas interagindo em equilíbrio.
De sua área total, 65% é composta pela floresta tropical úmida de terra firme. O restante é constituído por matas de cipó, campinas, matas secas, igapós, manguezais, matas de várzeas, cerrados, campos de terra firme, campos de várzeas e matas de bambu. Toda a rede de rios, cachoeiras, córregos, igarapés, lagos e represas constituem os ecossistemas aquáticos da Amazônia.
Não é só pelo tamanho que a Amazônia impressiona, mas também pela riqueza de minerais, espécies vegetais e animais, além de guardar cerca de um quinto das reservas de água doce do mundo, graças ao grande volume de água de seus rios e, também, por ser um dos poucos redutos do planeta onde ainda vivem povos primitivos. Dezenas de tribos ainda existentes espalham-se em territórios dentro da mata, mantendo seus próprios costumes, linguagens e culturas inalteradas por milhares de anos; antropólogos acreditam que ainda existam povos primitivos desconhecidos vivendo nas regiões mais inóspitas e inacessíveis.
Por tudo isso, o interesse pelas questões relacionadas à conservação do meio ambiente confere à Amazônia um papel de destaque nos cenários nacional e internacional por congregar todos os elementos naturais necessários ao sucesso de qualquer programação de ecoturismo.
Desmatamentos, disputas pelo domínio de suas terras, caça e pesca sem controle e contrabando de animais e plantas ameaçam a sobrevivência da Amazônia e impedem a utilização correta de seus recursos para o bem da humanidade. O melhor que temos a fazer é proteger a Amazônia.


07 - DIA DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL


A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política.
Muitos fatores contribuíram para a Independência do Brasil: a crise do sistema colonial, trazendo revoltas no final do século XVIII e início do século XIX, como a Inconfidência Mineira, a Conjuração Baiana, a Revolta Pernambucana de 1817 e o crescimento do livre comércio.
No ano de 1820, acontece em Portugal o estouro de um movimento liberal e antiabsolutista, conhecido como a Revolução do Porto. No ano seguinte, o parlamento português, exige que D. João VI retorne a Portugal; este obedece e deixa seu filho mais velho, D. Pedro I, como regente do Brasil.

Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta da coroa portuguesa exigindo o seu imediato retorno a Portugal, já que a sua presença impedia o ideal português de recolonizar o Brasil. D. Pedro I respondeu negativamente aos chamados, ficando esse dia conhecido como o “Dia do Fico”.

A seguir, D. Pedro I tomou uma série de medidas que desagradaram a Coroa Portuguesa; organizou a Marinha de Guerra, obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino, determinou que nenhuma lei de Portugal fosse colocada em vigor sem a sua aprovação, conclamou o povo a lutar pela independência e anunciou sua insubordinação, convocando a primeira Assembléia Constituinte Brasileira.

Depois disso, o príncipe-regente resolveu assinar o manifesto às Nações Amigas, escrito por José Bonifácio, o Patriarca da Independência, e confirmou o rompimento com as Cortes Constituintes de Lisboa.

Durante uma viagem rápida que fez a Minas Gerais e São Paulo, na intenção de acalmar setores da sociedade que estavam preocupados com os últimos acontecimentos, D. Pedro I recebeu uma nova carta de Portugal, que anulava a convocação da Assembléia Constituinte Brasileira e exigia a sua volta imediata para a metrópole. A notícia de que tropas portuguesas poderiam ser enviadas ao Brasil o convenceu a se separar da metrópole.
Esse fato ocorreu em 7 de setembro de 1822 às margens do rio Ipiranga e é lembrado como o ápice da Independência do Brasil. No mês de dezembro de 1822, o príncipe é coroado pelo bispo do Rio de Janeiro com o título de D. Pedro I, Imperador do Brasil.


21 - DIA DA ÁRVORE

Proteger as árvores e a natureza como um todo é uma atitude indispensável para a manutenção da vida na Terra.
Pela dedicação de um francês chamado Fourrier, no século passado, instituiu-se a “Festa das Árvores”. Sua idéia foi logo imitada por outras nações européias. Nesse mesmo período era comemorado, no estado de Nebraska, Estados Unidos, o “Dia da Árvore” – “The Arbor Day” –, em 10 de abril de 1872, dia instituído em homenagem ao aniversário de J. Sterling Morton, um morador da cidade que incentivava a plantação de árvores naquele estado.

No Brasil, os responsáveis pela primeira comemoração da “Festa das Árvores” foram João Pedro Cardoso e Alberto Loefgren. O evento aconteceu na cidade paulista de Araras, no dia 7 de junho de 1902, com o objetivo de incentivar a plantação de árvores e a conservação do meio ambiente.
Em 3 de maio de 1903, a festa foi lembrada na cidade de Itabira, São Paulo, com o desfile de crianças conduzindo flores, mudas de plantas e instrumentos agrícolas e ainda, dois andores com uma muda de magnólia e outra de pau-brasil, plantadas por Coelho Neto.

Em 24 de fevereiro de 1965, talvez por conta desse histórico, através do decreto presidência, instituiu-se a “Festa Anual das Árvores”, a ser comemorada no dia 21 de setembro em todo o território nacional. Segundo o decreto, a festa tem o objetivo de difundir ensinamentos sobre a conservação das florestas e estimular a prática de tais ensinamentos, além de divulgar a importância das árvores no progresso da pátria e no bem-estar dos cidadãos.

O Brasil foi um dos poucos países que não seguiu o exemplo dos Estados Unidos na escolha do dia para celebrar a árvore; mas existe uma explicação lógica para isso: os povos indígenas sempre cultuaram as árvores na época das chuvas ou quando se preparava a terra para ser semeada, o que marcava o início da primavera. Em razão das diferenças climáticas brasileiras, o evento é festejado na última semana de março no Norte e Nordeste, período referente ao início das chuvas naquela região, e nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste é festejado no dia 21 de setembro.

Além de embelezarem praças, ruas e avenidas, as árvores refrescam o ambiente. Isso acontece porque dão sombra e mantêm a umidade do ar; ajudam a diminuir a poluição porque absorvem o gás carbônico produzido na queima de combustíveis, o que significa mais oxigênio para nós humanos; agem como barreiras que mudam a direção dos ventos e filtram poeira e fuligem; são indispensáveis nas encostas, às margens de rios e mananciais, pois mantêm o solo firme; tudo isso sem contar os frutos deliciosos que produzem.



Outubro


04 – Dia dos Animais

12 – Dia da Criança

15 – Dia do Professor

23 – Dia da Aviação Brasileira

23 – Dia Nacional do Aviador

16 – Dia da Ciência e da Tecnologia

24 – Dia das Nações Unidas – ONU

29 – Dia Nacional do Livro

31 – Halloween


12 - DIA DAS CRIANÇAS

A Organização das Nações Unidas proclamou: “a criança, em virtude de sua falta de maturidade, física e mental, necessita de proteção e cuidados especiais, inclusive a devida proteção legal, tanto antes quanto após seu nascimento”, através da Declaração dos Direitos da Criança e do Adolescente, aprovada em 20 de novembro de 1960, cuja data foi escolhida pela ONU como o “dia universal das crianças”. A homenagem, que ocorria na maioria dos países em dias diferentes, até então, não recebia a atenção merecida.

A garantia de proteção especial à criança passou a ganhar destaque internacional com a Declaração de Genebra em 1924, que trazia uma página específica tratando dos direitos da criança.

Muitos países comemoram o “dia das crianças” em outros dias do ano. Na Índia é em 15 de novembro; em Portugal e Moçambique é em 1º de junho; na China, em 5 de maio e no Japão é comemorado no dia 5 de maio para os meninos e no dia 3 de março para as meninas.

No Brasil, a iniciativa de criar um dia especialmente dedicado às crianças foi na década de 1920. Depois de aprovado, o dia 12 de outubro foi oficializado como “Dia da Criança” pelo presidente Arthur Bernardes, por meio do decreto nº. 4867, de 5 de novembro de 1924. Mas, somente em 1960, quando a fábrica de brinquedos Estrela fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a “Semana do Bebê Robusto” e aumentar suas vendas, é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu certo e, desde então, o “dia das crianças” é comemorado com muitos presentes. Logo depois, outras empresas decidiram criar a “semana da criança” para aumentar as vendas.

No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto. A partir daí, o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos.

A maioria das nações tem consciência que a esperança de construir um mundo novo está na criança, porque elas representam o futuro e para isso acontecer é preciso cuidar delas agora, na infância, para se tornarem adultos felizes e pacifistas.
A seguir está um resumo dos direitos da criança, defenda-os!



Declaração Universal dos Direitos da Criança

Toda criança tem seus direitos garantidos, independente de raça, cor, sexo, religião etc.
Toda criança tem direito à proteção especial e ao desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social.
Toda criança tem direito a um nome e a uma nacionalidade desde seu nascimento.
Toda criança tem direito a crescer e viver com saúde.
Toda criança que tiver alguma incapacidade física ou mental tem direito a tratamento e cuidados especiais.
Toda criança deverá ser criada em um ambiente de amor e compreensão.
Toda criança tem direito a educação gratuita.
Toda criança tem direito a ser socorrida em primeiro lugar.
Toda criança tem direito à proteção contra violência e exploração.
Toda criança tem direito à proteção contra atos de discriminação racial, religiosa ou de outra forma.


15 - DIA DOS PROFESSORES


O “dia do professor” é comemorado no dia 15 de outubro apenas no Brasil. A data para homenagear o professor não foi escolhida por acaso. No dia 15 de outubro de 1827, D. Pedro I baixou um decreto imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil.

Esse decreto falava de várias coisas: descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até mesmo como os professores deveriam ser contratados.

Por causa da importância desta lei, a data começou a ser comemorada já na década de 1930. Em 1963, virou data comemorativa com o decreto nº. 52682, de 14/10/1963.

O “dia mundial do professor” é comemorado em todo o mundo em 5 de outubro.



23 - DIA DA AVIAÇÃO BRASILEIRA

No Brasil a aviação começou na redação do jornal “A noite”, no dia 14 de outubro de 1911, no Rio de Janeiro, com a fundação do Aeroclube Brasileiro e, posteriormente, da Escola da Aviação. A partir daí, foram várias as iniciativas de fabricação de aeronaves.
Na década de 1920, todas as tentativas de instalar uma indústria aeronáutica fracassaram, embora os protótipos de J. Alvear, em 1914, e Marcos Evangelista Villela Junior, em 1918, tenham voando.
Em 1927, os aviadores brasileiros João Ribeiro de Barros e Newton Braga atravessaram o oceano Atlântico no avião “Jaú”, exposto no Museu da Aeronáutica, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo.
A evolução da política do transporte aéreo brasileiro passou por fases bastante características, mas o critério da preservação da soberania e do mercado brasileiro estiveram sempre presentes.
Em 1927, duas empresas estrangeiras foram autorizadas a voarem pelo Brasil, visando o atendimento ao público e a integração do território. Duas empresas se registraram como empresas de aviação, a Varig e a Sindicato Condor, e conseguiram autorização para exploração de suas linhas pioneiras.
Até o final da década de 1960, mais 20 empresas foram criadas e, com o excesso de oferta em relação à demanda, muitas faliram ou foram absorvidas por outras, o que resultou numa redução nos níveis de segurança e de regularidade no serviço de transporte aéreo.
Para escaparem da crise, as empresas aéreas e o governo se uniram e aprovaram o regime de competição controlada pelo governo, que tinha poder para intervir nas decisões administrativas das empresas.
O governo federal, com a participação de todos os segmentos da indústria do transporte aéreo, estabeleceu diretrizes para uma redução gradual e progressiva da regulamentação existente, em sintonia com as tendências observadas em diversos países do mundo e mantidas até os dias de hoje.


23 - DIA NACIONAL DO AVIADOR


Voar pelos céus sempre foi um sonho do homem e inúmeras tentativas foram feitas ao longo dos tempos.
Em 400 a.C., Arquitas de Tarento, um filósofo grego, idealizou um tipo de pipa e a chamou de “máquina voadora”, mas os chineses já empinavam pipas desde 600 a.C.

No século XV, o sábio Leonardo da Vinci estudou e resolveu vários problemas sobre o vôo, até mesmo o cálculo da área de sustentação, mas seus estudos ficaram perdidos por quase três séculos. Em 1716, o sueco Swedeborg definiu a concepção de um trem de aterragem e de uma coluna de comando de vôo, o manche, o que se tornou padrão nas aeronaves que viriam a surgir.

O cientista suíço Daniel Bernoulli enunciou o “Princípio de Bernoulli” da aerodinâmica, através do qual se chegou à invenção definitiva da máquina de voar mais pesada que o ar, o avião.

Em 1783, foi inventado o balão de ar quente pelos irmãos franceses Joseph e Etienne Montgolfier, que fizeram o primeiro vôo na presença dos reis da França. Em 1852, outro balão foi criado, agora com força motora própria, por Henri Giffard, recebendo o nome de dirigível.

Em 1867, o russo Teleshov sugeriu uma aeronave cujo motor funcionaria com combustível liquido e a decolagem seria feita num trole sobre trilhos, porém suas idéias nunca saíram do papel, por serem muito revolucionárias para a época.

Em 1889, o engenheiro civil alemão Otto Lilienthal iniciou a construção e os ensaios de vôo com aeronaves de asas fixas sem motor, conhecidas como planadores; ele desenhou e produziu a primeira aeronave em série do mundo. Em 1903, os irmãos americanos Wilbur e Orville Wright projetaram uma máquina de voar motorizada e fizeram um vôo bem sucedido nas praias de Kitty Hawk, Carolina do Norte, porém o vôo não foi documentado e nem testemunhado pela imprensa.

A aviação teve início com as experiências desses pioneiros que tentaram o vôo com aparelhos mais pesados do que o ar, entre eles estão Gabriel Voisin, Louis Blériot, Wilbur e Orville Wright, Trajan Vuia, Henry Farma e muitos outros.

Em 23 de outubro de 1906, em Paris, o brasileiro Santos Dumont foi o primeiro aeronauta que demonstrou a viabilidade do vôo com um aparelho mais pesado do que o ar, o “14 Bis”. Os seus vôos foram os únicos realizados perante um grande público e devidamente documentados. O seu feito foi destacado na imprensa do mundo todo. O aeronauta brasileiro foi consagrado em dezembro de 1910, na ata da sessão realizada no Aeroclube da França, onde ficou registrado ter sido o brasileiro Santos Dumont “o primeiro aviador do universo que voou em aeroplano com motor”. O 14 Bis é considerado o primeiro avião que se elevou e se manteve no ar por seus próprios meios.

No dia 23 de outubro de 1991, o Brasil deu a Alberto Santos Dumont o título de “Pai da Aviação”, numa justa homenagem por sua contribuição tão significativa à humanidade.


29 - DIA NACIONAL DO LIVRO

O dia 29 de outubro foi escolhido para ser o “Dia Nacional do Livro” por ser a data de aniversário da fundação da Biblioteca Nacional, que nasceu com a transferência feita por D. João VI da Real Biblioteca portuguesa no ano de 1810, para a cidade do Rio de Janeiro.

Com a inauguração a Corte real pensou na popularização do livro, já que a biblioteca permite acesso fácil à leitura para qualquer pessoa, independentemente de seu nível social.

A história do livro no Brasil pode ser dividida em “antes e depois de Monteiro Lobato” que além de traduzir grandes clássicos de obras juvenis para o português, também foi autor de famosos livros.
Monteiro Lobato é apresentado como um dos principais responsáveis pela introdução do hábito de leitura das crianças no Brasil.

O Brasil não possuía estrutura para a indústria editorial e Monteiro Lobato resolveu investir no futuro desse mercado, numa empresa totalmente nacional. Ele comprou maquinário caro e moderno para equipar a empresa e, dessa forma, pôde ver ser sonho tornar-se realidade quando inaugurou a gráfica “Monteiro Lobato e Cia.”. Apesar de ter contratado profissionais qualificados, a gráfica acabou falindo. Logo depois fundou a Companhia Editora Nacional, ativa até os dias atuais, produzindo literatura didática e paradidática, conhecidas em todo o país.

Monteiro Lobato traduziu a importância do livro quando disse que um país se faz de homens e livros.



31 - DIA DAS BRUXAS


Halloween é uma festa de origem celta, povo que viveu nas ilhas britânicas antes de Cristo. Era chamada originalmente de “All Hallows Eve”, que significa “véspera do dia de todos os santos”, e comemorava o fim do verão.

Para o povo celta, nessa época, as almas dos que morreram durante o ano voltavam para tomar os corpos dos vivos. Os vivos que não queriam ser possuídos não deveriam acender fogueiras para o local ficar frio e, conseqüentemente, indesejado pelos mortos. Deviam também se fantasiar assustadoramente para espantar as almas.

A partir do descobrimento da América alguns imigrantes introduziram a festa de Halloween nos Estados Unidos. Hoje é uma festa típica dos Estados Unidos, Inglaterra e Canadá que acontece tradicionalmente todos os anos, no dia 31 de outubro. Ao anoitecer, crianças e adolescentes, vestidos com fantasias de fantasmas, bruxas, múmias, drácula, duendes, gnomos, entre outras criaturas carregando abóboras iluminadas com velas, praticam o mesmo ritual: batendo de porta em porta, pedindo doces aos moradores, dizendo “Trick or Treat”, que significa “Doce ou Travessura”.

No Brasil a comemoração desta data é recente e chegou ao país através da grande influência da cultura americana. Os cursos de língua inglesa também colaboram para a propagação da festa no Brasil, pois valorizam e comemoram a data com seus alunos, uma forma de vivenciar com os estudantes a cultura norte-americana.

Muitos brasileiros, argumentando que o Brasil é um país que tem um rico folclore e que deveria valorizá-lo, defendem que a data não tem nada a ver com a nossa cultura e, portanto, não deveria ser comemorada. Por esta razão, foi instituído em 2005 o “Dia do Saci”, para ser comemorado também em 31 de outubro.

O “dia das bruxas” é uma festa alegre e divertida que conta também com a participação dos adultos, que enfeitam casas, lojas, escritórios e ruas com as cores preto, lilás e roxo, e temas que lembram assombrações.

Sugestão de leitura
Abaixo o bicho-papão!
Walcyr Carrasco
Série Lazuli infantil
Companhia Editora Nacional




Novembro


02 – Dia de Finados

05 – Dia da Cultura

14 – Dia do Bandeirante

15 – Proclamação da República

19 – Dia da Bandeira Nacional

20 – Dia da Consciência Negra / Zumbi dos Palmares


02 - DIA DE FINADOS


O culto aos mortos é muito antigo e esteve presente em quase todas as religiões, principalmente nas mais antigas. Inicialmente era ligado aos cultos agrários e de fertilidade. Os mais antigos acreditavam que, como as sementes, os mortos eram enterrados com vistas à ressurreição.
Na Igreja Católica, o Dia de Finados surgiu como um vínculo suplementar entre vivos e mortos, que sempre estiveram presentes nas suas celebrações.

Desde o século I, os cristãos rezavam pelos falecidos e visitavam os túmulos dos mártires nas catacumbas para rezar pelos que morreram sem martírio.

No século V, a igreja dedicava um dia do ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais ninguém lembrava, até que no século XI os Papas Silvestre II (1009), João XVIII (1009) e Leão IX (1015) obrigam a comunidade a dedicar um dia por ano aos mortos.

No século XIII, esse dia anual por todos os mortos passou a ser comemorado no dia 2 de novembro, porque no dia 1º de novembro se realiza a festa de todos os santos, para celebrar todos os santos que morreram em estado de graça e não foram canonizados.

Com o passar do tempo, a comemoração ultrapassou seu aspecto exclusivamente religioso para revelar uma afeição emotiva, a saudade de quem perdeu um ente querido. Hoje, o Dia de Finados é um dos feriados mais universais; são cerca de mil anos de celebração pela fé na ressurreição.

As pessoas costumam celebrar os entes queridos mortos visitando os cemitérios, levando flores aos túmulos, rezando por eles e acendendo vela, o que significa que a luz do irmão não se apagou. Alguns preferem chamar a data de “Dia da Saudade”, retirando o peso do aspecto fúnebre e enfatizando as melhores lembranças daqueles que se foram.


14 - DIA DO BANDEIRANTE


No início da colonização do Brasil, homens valentes foram usados pelos portugueses com o objetivo de lutar com os índios e recuperar escravos fugitivos; esses homens foram chamados de “bandeirantes”. Saindo de São Paulo e São Vicente, eles dirigiam-se para o interior do Brasil, caminhando através de florestas e seguindo caminho por rios, como o rio Tietê, que foi um dos principais meios de acesso para chegarem ao interior de São Paulo. Essas explorações territoriais eram chamadas de “entradas ou bandeiras”, porque eles entravam pelas selvas e o primeiro do grupo levava uma bandeira, daí o nome de bandeirantes.

No início, as expedições tinham como objetivo predominante capturar os índios para escravizá-los, mas, depois que a escravidão de índios deixou de ser usual, passaram a procurar por pedras e metais preciosos. Os bandeirantes também capturavam escravos fugitivos que se embrenhavam dentro de matas para formar quilombos; o Quilombo dos Palmares, por exemplo, foi destruído por um grupo de bandeirantes. Contudo, eles ficaram historicamente conhecidos como os responsáveis pela conquista de grande parte do território brasileiro.

Do século XVII em diante, o interesse dos portugueses passou a ser a procura por ouro e pedras preciosas. Os bandeirantes Fernão Dias Pais e seu genro Manuel Borba Gato se concentraram nas buscas desbravando Minas Gerais e fundando vários povoados. Depois, outros bandeirantes descobriram o ouro, entre outros metais preciosos. Uma importante expedição foi a de Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera, que encontrou ouro perto de Goiás. Para conseguir dos índios a revelação do exato local onde se achava o ouro, Bartolomeu Bueno ateou fogo a um pouco de álcool que transportava num recipiente, ameaçando-os de fazer o mesmo com os rios e fontes, caso se negassem a revelar o caminho do ouro. Os índios, atemorizados, atenderam e o apelidaram de Anhanguera, que significa, em tupi, “diabo velho” ou “espírito mau”. Muitos aventureiros o seguiram e permaneceram em Goiás e Mato Grosso, dando início à formação das primeiras cidades.

Outros bandeirantes que se destacaram nesse período foram: Antonio Pedroso, Alvarenga, Jerônimo Leitão (primeira bandeira conhecida), Nicolau Barreto (seguiu trajeto pelos rios Tietê e Paraná e regressou com índios capturados), Antônio Raposo Tavares (atacou missões jesuítas espanholas para capturar índios) e Francisco Bueno (missões no Sul até o Uruguai).

Hoje em dia, os mais famosos bandeirantes são honrados com monumentos e nomes de vias públicas. Mas, se por um lado admiramos o heroísmo desses homens, por outro, lamentamos a cruel atuação de alguns deles na destruição das missões jesuíticas e na captura dos índios. Nos tempos atuais, o bandeirantismo é o movimento de uma associação organizada que se encontra em quase todos os estados brasileiros e regulamentada pela Federação dos Bandeirantes do Brasil.


15 - DIA DA PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA


Movimentos sociais e revoltas já indicavam a falência do regime monárquico. A Inconfidência Mineira (1789), a Conjuração Baiana (1798) e a Revolução Pernambucana (1817) já carregavam o gérmen do sistema republicano de governo.

No dia 15 de novembro de 1889, o marechal Deodoro da Fonseca proclamou a República no Brasil. O sistema monárquico do governo, sob o comando do ministro Visconde de Ouro Preto, já não tinha o apoio da Igreja, nem dos militares, das lideranças civis e nem dos antigos senhores de escravos.

Por essa razão, a Proclamação da República foi pacífica, sem guerra nem derramamento de sangue. Montado em seu cavalo, o marechal Deodoro desfilou uma longa lista de queixas, pessoais e corporativas, contra o governo do Visconde de Ouro Preto e não contra o Imperador D. Pedro II. Naquela mesma hora, o Visconde foi preso e o gabinete derrubado. Na saída, o marechal Deodoro, à frente da tropa, obedeceu ao cerimonial militar de saudação ao Chefe de Estado: com o quepe erguido pela mão direita acima da cabeça, deu um “viva ao Imperador”.

Estabeleceu-se um governo provisório chefiado pelo próprio marechal. Esse governo comunicou a D. Pedro II que havia sido proclamada a República e que a Família Real deveria deixar o Brasil. O major Sólon Ribeiro foi encarregado de entregar a mensagem ao Imperador, que, no dia 17 de novembro, a bordo do navio “Alagoas”, partiu para a Europa com sua família.

O Brasil passou a ser uma República, com uma nova Constituição e uma nova bandeira.


19 - DIA DA BANDEIRA NACIONAL


A bandeira do Brasil foi instituída quatro dias após a Proclamação da República, que foi no dia 15 de novembro de 1889. A bandeira do Brasil tem as cores ligadas aos símbolos nacionais.

Verde: significa nossas matas e também traz à lembrança o primeiro objeto que funcionou como bandeira, os ramos arrancados das árvores pelos homens primitivos em atitude de alegria.
Amarelo: representa a riqueza mineral e a aventura dos bandeirantes à procura de ouro. Numa interpretação mais poética, faz com que imaginemos o sol que brilha em nosso céu, astro que garante as condições da sobrevivência humana.
Azul: significa o nosso céu e também é uma homenagem a Nossa Senhora, padroeira de Portugal e do Brasil.
Branco: significa a paz, incluindo os brasileiros aos povos que enxergam Deus como plenitude do ser e do poder, assim como o branco é a plenitude das cores.

Além de todas essas cores, a bandeira brasileira tem 27 estrelas que representam as 26 unidades federativas brasileiras e o Distrito Federal; as estrelas correspondem ao aspecto do céu, na cidade do Rio de Janeiro, às 20 horas e 30 minutos do dia 15 de novembro de 1889, e deve ser considerada como vista por um observador situado fora da esfera celeste.

A faixa branca que corta a bandeira nacional significa o Equador terrestre, por isso apenas uma estrela colocada acima no hemisfério norte, que representa a estrela “Spica”; ela representa o Estado do Pará, que tem boa parte do seu território localizada acima da linha do Equador, isso porque Roraima e Amapá não eram estados na época. Na faixa branca estão escritas as palavras “Ordem e Progresso”. Isso significa decisão e visão clara dos problemas da pátria e também meta de ascensão para os homens de valor.

O projeto da bandeira foi aprovado e entregue para sua execução ao pintor Décio Vilares. Ao astrônomo Manuel Pereira dos Reis coube a localização das estrelas.

A bandeira do Brasil fica permanentemente hasteada na Praça dos Três Poderes, em Brasília; ela só é arriada quando uma nova é hasteada. As bandeiras brasileiras em mau estado de conservação devem ser entregues em uma unidade militar para serem incineradas no dia 19 de novembro. As bandeiras de outros países só podem ser hasteadas no Brasil se ao lado estiver a Bandeira Nacional, do mesmo tamanho e ao lado direito; a única exceção é para embaixadas e consulados.


20 - DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA


O “Dia nacional da consciência negra” foi instituído no Brasil pela Lei nº. 10639, de 9 de janeiro de 2003, a ser celebrado todo ano no dia 20 de novembro, em homenagem a Zumbi dos Palmares (morto em 20 de novembro de 1695), chefe das forças armadas dos Palmares, possuidor de grande capacidade de liderança e que se tornou o baluarte na luta dos negros contra o preconceito e o racismo.

A trajetória do rei dos Palmares se mistura à própria história da escravidão negra na América. Submetidos ao duro trabalho nos engenhos de açúcar e em outras atividades, muitos escravos fugiam e formavam sociedades paralelas, os quilombos ou mocambos, inspirados na organização das sociedades africanas. O quilombo dos Palmares teve início em 1597, com a fuga de quarenta negros de um engenho de Porto Calvo, sul da capitania de Pernambuco, e foi o maior e mais duradouro quilombo brasileiro.

Longe das fazendas e da ira de seus senhores, os escravos fundaram o quilombo na Serra da Barriga, local de terras férteis, água em abundância e com uma visão privilegiada de toda a área próxima. Ali a população a cada dia aumentava mais, chegou a cerca de 30 mil negros. Os escravos fizeram de Palmares a “Terra da Promissão”, o “Estado Livre”. O nome de quilombo dos Palmares era uma referência às palmeiras da região.

Em 1655, nasceu Zumbi num dos mocambos do quilombo dos Palmares, porém cresceu distante dele. Com poucos meses de vida, Zumbi foi capturado por uma expedição militar e doado ao padre Antônio de Melo, do distrito de Porto Calvo. O padre batizou o menino com o nome de Francisco e o criou, o ensinando a ler e escrever.

O padre tinha grande admiração pelo negrinho e se refere a ele em uma carta como “o dono de um engenho jamais imaginado na sua raça e que bem poucas vezes encontrara em brancos”. Apesar de todas as regalias, incomuns aos negros daquela época, por volta de 1670, aos 15 anos de idade, ele decidiu voltar, com alguns escravos fugitivos, para sua terra natal. No quilombo dos Palmares, Francisco assumiu o nome de Zumbi.

Em 1675, na luta contra os soldados portugueses, comandados pelo sargento-mor Manuel Lopes, Zumbi revela-se grande guerreiro e organizador militar, ao lado de Ganga Zumba, chefe do quilombo.

Depois de sérias perdas suportadas pelos palmarinos, Pedro de Almeida, governador da capitania de Pernambuco, propôs ao chefe Ganga Zumba a paz e a alforria para todos os escravos refugiados em quilombos. Zumbi foi contra, pois não admitia que uns negros fossem libertos enquanto outros continuavam escravos.

Em 1694, Domingos Jorge Velho e Vieira de Mello, apoiados pela artilharia, comandaram o ataque final contra a Cerca do Macaco, principal mocambo de Palmares. Zumbi levou dois tiros e caiu num desfiladeiro. Por ter desaparecido durante algum tempo, foi criada a lenda do herói Zumbi que se suicidou para esquivar-se da reescravização.

Em 1695, Zumbi voltou a Pernambuco para reiniciar o combate, provando que estava vivo. Em 20 de novembro Zumbi foi morto, traído pelo amigo e comandado Antônio Soares, que, em troca de sua liberdade, revelou o esconderijo do grande líder. Zumbi foi degolado e teve sua cabeça transportada para Recife, onde ficou pendurada em local público até a sua completa decomposição.

A história de Zumbi é um rico episódio da luta contra o racismo e a escravatura. Zumbi sonhava com uma sociedade igualitária, por isso seu pensamento deve permanecer dentro de cada um de nós.


Dezembro


01 – Dia Mundial de Combate à Aids
08 – Dia Nacional da Família

10 – Dia Mundial dos Direitos Humanos

24 – Dia do Órfão

25 – Natal

31 – Dia da Esperança



08 - DIA NACIONAL DA FAMÍLIA


A família é o primeiro grupo a que pertencemos, é a primeira sociedade em que somos incluídos. É a partir da família que adotamos nossos padrões e que formamos nossa identidade. Apesar disso, os modelos de família mudaram muito ao longo do tempo. No início, a sociedade era um conjunto de famílias reunidas para procurar alimentos, caçar, trabalhar e colher frutos silvestres.

A família de hoje não é mais como era antes, muita coisa mudou na prática; mas o importante é jamais esquecer que uma situação difícil seria muito pior sem a presença da família.

O amor dá vida à família, firmando os laços de união entre seus integrantes; o amor dos pais em relação aos filhos e dos irmãos entre si, a capacidade de renúncia, a disposição de alguém privar-se de algo em favor do outro ou de todos, conforto, repouso e prazer são ingredientes primordiais para a sustentação de uma família feliz.


10 - DIA UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS


O primeiro documento a reconhecer os direitos naturais (a vida, a liberdade e a propriedade) foi o “Bill of Rights”, declaração inglesa de 1689, que continha um grande avanço: a retirada do direito divino dos reis e o conceito do “inglês livre por nascença”. Porém o documento não era totalmente justo, porque excluía a liberdade natural dos outros povos que não fossem os ingleses.

Em 1789, com a Revolução Francesa, a Assembléia Nacional proclama os Direitos do Homem e do Cidadão, que valem para todos os indivíduos, porém na prática não garantiu todos os direitos naturais, inalienáveis e sagrados dos homens.
Exemplo disso foi Olympe de Gouges, que propôs uma declaração para os direitos femininos e, por isso, foi mandada para a guilhotina no ano de 1791. Neste mesmo ano, dez emendas à Constituição americana foram confirmadas e, apesar de garantirem a liberdade de culto, da imprensa e de reuniões pacíficas, não asseguraram a igualdade entre os homens, pois manteve a escravatura.

Apesar dos pontos negativos, esses três documentos contribuíram muito para a criação da Declaração Universal dos Direitos Humanos, no dia 10 de dezembro de 1948, proclamada em Paris pela Organização das Nações Unidas.

Surgida numa época após o horror, as atrocidades e o extermínio ocorridos na Segunda Guerra Mundial, a Declaração foi um importante passo na direção da paz e do entendimento entre os povos.

“Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade”. Esse é o primeiro artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

A Declaração é pensada como um guia, uma espécie de mapa para que as nações passem a evitar qualquer forma de violência e crueldade e se mantém como uma ferramenta essencial para a construção de um mundo mais digno e feliz.


25 – DIA DE NATAL

As comemorações festivas do ciclo natalino vêm da distante Idade Média, quando a Igreja Católica introduziu o Natal em substituição a festa mais antiga do Império Romano, a festa do deus Mitra, que anunciava a volta do sol em pleno inverno do Hemisfério Norte. A adoração a Mitra, divindade persa que se aliou ao sol para obter calor e luz em benefício das plantas, foi introduzida em Roma no último século antes de Cristo, tornando-se uma das religiões mais populares do Império.

A data conhecida pelos primeiros cristãos foi fixada pelo Papa Júlio 1º para o nascimento de Jesus Cristo como uma forma de atrair o interesse da população.

Pouco a pouco o sentido cristão modelou e reinterpretou o Natal na forma e intenção. Conta a Bíblia que um anjo anunciou para Maria que ela daria a luz a Jesus, o filho de Deus. Na véspera do nascimento, o casal viajou de Nazaré para Belém, chegando à noite. Como não encontraram lugar para dormir, eles ficaram no estábulo de uma estalagem. E ali mesmo, entre bois e cabras, Jesus nasceu, sendo enrolado em panos e deitado numa manjedoura. Pastores que estavam próximos com seus rebanhos foram avisados por um anjo e visitaram o bebê. Três Reis Magos, que viajavam há dias seguindo a estrela guia, encontraram o lugar e ofereceram ouro, mirra e incenso como presentes ao menino. Na volta, espalharam a notícia de que havia nascido o filho de Deus.

Desde a sua origem o Natal é cercado de magia e, como toda festa religiosa tem seus símbolos. Alguns deles são:

Árvore:

Representa a vida renovada, o nascimento de Jesus. O pinheiro foi escolhido por suas folhas estarem sempre verdes e cheias de vida. Essa tradição surgiu na Alemanha, no século XVI. As famílias enfeitavam suas árvores com papel colorido, frutas e doces. No século XIX, através dos imigrantes que vieram para a América, o costume se espalhou pelo mundo.


Presentes:

Simbolizam as ofertas dos três Reis Magos; esse hábito é anterior ao nascimento de Jesus; quando os romanos celebravam a Saturnália, em 17 de dezembro, trocavam presentes e na festa do ano novo romano havia distribuição de presentes às crianças pobres.

Velas:

Representam a boa vontade. No passado europeu, eram colocadas nas janelas das casas para indicar que os moradores estavam receptivos.

Estrela:

Colocada no topo do pinheiro, representa a esperança dos Reis Magos em encontrar o filho de Deus. A estrela guia os orientou até o estábulo onde Jesus nasceu.

Cartões:

Surgiram na Inglaterra em 1843, criados por John C. Horsley que deu um deles a Henry Cole, amigo que sugeriu fazer cartas rápidas para felicitar os familiares.

Comidas típicas:

O simbolismo que o alimento tem na mesa vem das sociedades antigas,que passavam fome e encontravam na carne o mais importante prato, uma forma de reverenciar a Deus.

Presépio:

Reproduz o nascimento de Jesus. O primeiro a armar um presépio foi São Francisco de Assis, em 1223. As ordens religiosas se incumbiram de divulgar o presépio e o povo assumiu a tarefa de continuar com o ritual.

Papai Noel:

A figura do bom velhinho foi inspirada num bispo chamado Nicolau, que nasceu na Turquia em 280 d.C. O bispo, homem de bom coração, costumava ajudar as pessoas pobres, deixando alguns saquinhos com moedas próximos às chaminés das casas. O bispo foi transformado em santo – São Nicolau – após várias pessoas relatarem milagres atribuídos a ele. A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo. Nos Estados Unidos recebeu o nome de Santa Claus, em Portugal de Pai Natal e no Brasil de Papai Noel.

Um comentário: